jump to navigation

Prémio Literário Hernâni Cidade 2-Outubro-2010

Posted by João Alberto Roque in Momentos.
Tags:
add a comment

O Prémio Literário Hernâni Cidade é uma iniciativa anual da Câmara Municipal de Redondo, através da sua Biblioteca.

Na edição de 2010 a modalidade foi poesia e os trabalhos (um conjunto de três sonetos) tinham que ser subordinados ao tema: Venho brincar aqui no Português, a língua – uma frase do conhecido escritor moçambicano Mia Couto, retirada da sua crónica Perguntas à língua portuguesa. Essa crónica foi o ponto de partida para escrever o poema Mia Couto. Outro poema começa com o tema proposto: Venho brincar aqui no Português, a língua… O terceiro tem como título Unidiversidade uma palavra inventada, ao estilo do autor moçambicano.

A cerimónia de entrega dos prémios será no dia 23 do Outubro. Neste caso a organização não me fez sofrer como nos dois prémios anteriores (Trofa e Madeira) e já sei que ganhei o primeiro prémio.

http://www.cm-redondo.pt

Venho brincar aqui no Português



Venho brincar aqui no Português,
a língua dos meus pais e minha, agora,
herança a que acedi e assim me fez
irmanado a milhões, pelo mundo fora.


Espaço de orgulho e altivez,
onde se ouve uma voz livre e sonora.
Lugar de diversão, sem timidez,
não vive já dos feitos de outrora.


E os poetas que brincam com os sons,
alegres companheiros no recreio,
partilham todos deste devaneio:


de tornar, cada qual com os seus dons,
nossa língua um local acolhedor;
nossa pátria mais rica… e maior.


Mia Couto


Sim, amigo, obrigado pelas lições.
Matámos a galinha por um ovo…
é preciso avivar, erguer de novo,
brincar, criar, fazer brincriações.


Ajudaste a sonhar colorações
no planeta dormente onde me movo,
recriaste a língua com o povo,
recreaste a língua em diversões.


Recuperaste até antigos brilhos
(e os ovos de ouro brilham mais
se reflectem o brilho dos demais),


trouxeste alegria a nossos filhos,
cor aos planetas já entorpecidos …
Seja a língua carícia em teus ouvidos!


Unidiversidade


Nascemos em países tão distantes
mas nossas falas, na diversidade,
brincam juntas em tal intimidade
nesse encontro, são línguas de amantes.


Belo festim de sons com cambiantes,
poetas burilando a claridade.
Tantas faces não quebram a unidade,
mas reflectem a luz, são diamantes.


Perceber-te não é grande façanha:
posso achar a pronúncia estranha,
pode o vocabulário divergir…


– Adorei, foi gostoso o cafuné
– Se pensas que eu não sei o que isso é…
Percebi, não precisas traduzir.

6º Encontro Lusófono de Literatura Infanto-juvenil 24-Maio-2010

Posted by João Alberto Roque in Infância, Livros, Momentos.
1 comment so far

De um a oito de Maio, fui um dos escritores convidados a participar no 6º Encontro Lusófono de Literatura Infanto-juvenil, organizado pelo Município da Trofa. É sempre um enorme prazer voltar àquele que é o meu “local de nascimento literário” e onde me sinto sempre bem acolhido.

Na notícia do portal da Câmara Municipal da Trofa sobre o evento, a foto escolhida mostra um momento da minha conversa com um grupo de crianças. Eu sentei-me ao nível delas, num local diferente do preparado para o efeito, mas havia lá melhor lugar do que a sala da biblioteca onde estão os livros para a sua idade? Contei-lhes um dos meus contos e a receptividade foi fantástica, em ambos os grupos. Não foi um acaso: todos conheciam “Pirilampo e os deveres da escola” e eu li-lhes uma continuação, em permanente diálogo com elas.

Foi o momento mais conseguido da minha experiência de contar histórias a crianças. Estavam motivadas, bem preparadas e a história dizia-lhes muito. Por várias vezes, o que eu tinha para ler foi antecipado pelas suas próprias histórias com gatos (falaram também de cães e outros animais domésticos).

No final autografei alguns livros que as crianças, como a menina em primeiro plano, levaram para o efeito.

http://www.mun-trofa.pt/Site/FrontOffice/default.aspx?module=Headlines/HeadlinesDetail&ID=111

No dia seis de Abril – Dia Internacional do Livro Infantil – estive em Rio Tinto, a convite da educadora e escritora Ângela Monforte. A conversa com as crianças do Jardim-de-Infância teve como ponto de partida uma história que escrevi para aquelas idades.

O primeiro passo na Lua 14-Outubro-2008

Posted by João Alberto Roque in Momentos.
add a comment

Foi com uma história intitulada “O primeiro passo na Lua” que consegui o primeiro prémio no VI Concurso Literário “António Feliciano Rodrigues (Castilho)” organizado pela Junta de Freguesia de Santa Maria Maior (Funchal), em colaboração com a Associação de Escritores da Madeira (notícia aqui). Na mesma ocasião, foi lançado o livro “Com palavras nascem histórias 5” que reúne os três premiados e duas menções honrosas no concurso do ano passado.

A receber o prémio das mãos de Alberto Casimiro, presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior. Na mesa está Octaviano Correia,  presidente da Associação de Escritores da Madeira.  

Uns dias antes, informaram-me de que era um dos premiados. Fui para a Madeira sem saber qual era o meu prémio, mas valeu a pena.

 

Na altura da entrega, chamaram primeiro as menções honrosas, depois o 3º prémio. Três actores dramatizaram o texto classificado em terceiro. Quando chamaram o segundo e não era eu, que alegria… devo dizer que não consegui prestar muita atenção à dramatização desse texto.

Depois chamaram-me a mim. Já me tinha acontecido algo semelhante na Trofa, com o “Pirilampo e os deveres da escola”… ser o último a ser chamado.

 

No próximo ano, se tudo correr como esperado, será a publicação em livro.

 

Ofereceram-me os livros das cinco primeiras edições, alguns dos quais já conhecia porque estão disponíveis na Net, com textos muito interessantes.

 

1º Prémio na Madeira 13-Outubro-2008

Posted by João Alberto Roque in Momentos.
add a comment

Tenho estado sem net e só agora que estou no aeroporto da Madeira, à espera do avião para regressar, é que posso dar a novidade. Ganhei mesmo o 1º Prémio no Concurso Literário António Feliciano Rodrigues (Castilho). Depois, com mais calma e tempo dou mais pormenores.